78 municípios preveem falta de oxigênio para pacientes, 10 são na Bahia

78 municípios preveem falta de oxigênio para pacientes, 10 são na Bahia

Um Levantamento realizado pela FNP – Frente Nacional dos Prefeitos, constatou que pelo menos 78 município brasileiros de 22 estados, apontam a possibilidade de escassez de oxigênio para pacientes com COVID-19. Diversas prefeituras já sinalizaram que seus estoques estão abaixo do esperado, e um colapso nestas cidades já é dado como certo.

A FNP como órgão representante dos chefes do executivo, realizou uma enquete com a seguinte pergunta: “Seu município tem previsão de desabastecimento de oxigênio, que poderá comprometer os serviços de saúde?”

Veja a situação dos 10 municípios baianos, incluídos da lista:

Amélia Rodrigues: tem apenas 05 cilindros de oxigênio no momento.

Taperoá: Aguardando resposta do fornecedor, mas sinalizou SIM, para possível agravamento.

Jeremoabo: Previsão de problemas na aquisição de oxigênio a partir do dia 30 de março, devido o crescimento de pessoas infectadas.

Entre Rios: Tem no momento 22 Cilindros de Oxigênio e 08 fluxômetros, porém tem se apoiado em municípios vizinhos da Bahia e do Estado de Sergipe, que tem emprestado ao município.

Itagimirim: Tem oxigênio para 42 dias.

Barra: O Município só tem encontrado fornecedores em Salvador e Feira de Santana, o que representa um deslocamento de 676 km.

Uauá: Previsão de desabastecimento devido a grande demanda da sua região que concorre diretamente com municípios maiores a exemplo de Senhor do Bonfim, Juazeiro e Petrolina (PE)

Milagres e Conceição da Feira: Apontaram a necessidade, mas, não justificaram, nem apresentaram prazo.

Cachoeira: Necessidade de oxigênio para o segundo semestre.

Informa Sertão/ Clayton Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *