Empreendedorismo: Jacobina receberá grandes investimentos em diversos setores até o final de 2022

Empreendedorismo: Jacobina receberá grandes investimentos em diversos setores até o final de 2022

Vigésima maior cidade da Bahia e 21ª em economia, Jacobina já foi a 8ª potência do estado, mas com o passar dos anos a formatação econômica e populacional mudou, muitos dos seus distritos passaram pelo processo de emancipação política e com isso a terra do ouro teve sua população diminuída e sua perspectiva de arrecadação também, isso é natural para quem perdeu Ourolândia, Umburanas, São José e Capim Grosso incluindo a parte interiorana destas comunidades.

De lá pra cá o mundo mudou, e muito, a região centro-norte da Bahia já não é marcada por um povo sertanejo sofrido e esquecido, mas sim por gente que faz acontecer, que não parou no tempo e aposta em um futuro promissor. A expectativa para os próximos 02 anos em Jacobina, é de que haja um crescimento significativo no mercado imobiliário com a chegada de novos condomínios na BA 131 no trecho Jacobina – Miguel Calmon, nesta via já foi iniciado um parque industrial, idealizado pelo empresário Fernando Vieira, o popular Fernando da Morel. Neste mesmo vetor crescem os loteamentos rurais na região da Malhadinha e do Velame, além disso há uma sinalização por parte do empresário jacobinense Hilton Lima, de que novos empreendimentos residenciais terão esta região da cidade como destino.

Senhor do Bonfim e Irecê já podem se gabar de grandes investimentos no setor atacadista de alimento com chegada de grandes redes, Jacobina já conta com a presença marcante de empresas nativas, empreendedores como Valmir do Arroz, Cecílio Mota e Gilvan Barbosa acreditaram no potencial da cidade, entretanto isso também colocou o município em um patamar que despertou as grandes redes. Recentemente o Atakarejo, rede genuinamente baiana, abriu seu capital na Bolsa de Valores em São Paulo e tende a atacar o interior do estado com a abertura de novas lojas, colocando a Jacó City em sua lista de prioridades. Desde 2015 o Grupo Pão de Açúcar despertou interesse em abrir uma mega loja da Rede Assaí por aqui, contudo a empresa vive uma fase de rompimento que coloca em risco a continuidade desta tentativa.

Tudo leva a crer que ainda em 2021 teremos a reabertura da Cesta do Povo, a marca que era administrada pela EBAL, com 100% do capital público, foi privatizada em 2018, sendo arrematada por cerca de 15 milhões de reais pelo Grupo NGV Empreendimentos e Participações, modificando, layout, estrutura e política de preços das novas lojas, que antes serviam de marco regulador no mercado alimentício, agora tornou-se um grupo competitivo no últimos 03 anos.

O Setor de Saúde trará diversas novidades em breve e já iniciou o ano desta forma com a Tesla, um dos maiores investimentos na história da saúde privada, e não para por aí, empresas como Life, Humana e novas clínicas que estão por surgir, vão sacudir o mercado abrindo um leque para escolhas dos pacientes em diversas especialidades.

Para os próximos anos a Yamana Gold deseja aplicar recursos estrondosos na Jacobina Mineração e Comércio, tornando a planta de Jacobina o seu principal parque aurífero no Brasil. Seguindo o mercado privado, o poder público terá que dar sua contrapartida e preparar o terreno para o desenvolvimento, a exemplo da real necessidade da construção do mercado produtor, a revisão do PDDU – Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, o PPA – Plano Plurianual de forma participativa, seguindo as vocações regionais, e dentro desse prognóstico apostar em mobilidade urbana, turismo de negócios e cada vez mais em atração de novos investimentos.

INFORMA SERTÃO/ Clayton Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *