Segurança Pública: Leia aqui os detalhes da Entrevista Coletiva concedida pelo Comandante Geral da PM, após morte do soldado Wesley Góes

Segurança Pública: Leia aqui os detalhes da Entrevista Coletiva concedida pelo Comandante Geral da PM, após morte do soldado Wesley Góes

Na manhã desta segunda-feira (29), O Comandante Geral da Polícia Militar do Estado da Bahia, Cel. PM Paulo Coutinho, concedeu entrevista coletiva à imprensa baiana, no Centro Administrativo da Bahia – CAB, com a finalidade de de esclarecer os sucessivos episódios que ocasionaram a morte do soldado Wesley Góes. O PM foi abatido por colegas em serviço, após o mesmo sofrer um surto psicótico e deflagrar um tiro de fuzil contra a tropa no Farol da Barra.

Durante o encontro com a imprensa Coutinho lamentou o ocorrido, falou a respeito da conduta de Wesley, do processo de negociação no gerenciamento da crise e descartou a possibilidade de greve, leia os destaques abaixo.

Wesley não sofria perseguição em seu local de trabalho
De acordo o Comandante Paulo Coutinho, “a referência é que ele era um excelente policial militar”. O comandante ainda sugeriu que “não procede esse tipo de comentário”.

Histórico do Soldado
“A família não tem suspeita do que motivou o ato dele”, disse o comandante geral, acrescentando a informação de que Góes terminou um relacionamento “sem conflito” recentemente. Paulo Coutinho relatou que o histórico do soldado na Polícia não demonstrava fatos suspeitos. “Todos nós estamos surpresos e atônitos”, declarou.

Gerenciamento de Crise
O oficial disse que um helicóptero trouxe uma irmã do policial durante a negociação. “Isso foi uma preocupação minha. Uma das alternativas do processo negociativo. Às vezes, a gente consegue demover o provocador através de pessoas que são mais próximas. Tinha uma irmã que morava com ele e nós facilitamos a vinda dela através da aeronave”, descreveu. O comandante frisou sobre o estado de saúde do PM. “O estado mental dele não estava perfeito”, pontuou.

O Comandante geral fez questão de reiterar o compromisso com a família. “Eu reitero mais uma vez o nosso compromisso como instituição à família que tenha força pra enfrentar esse momento tão difícil da perda de um ente querido”. ainda discorreu sobre o dia de ontem. “Trabalhava em Itacaré, assumiu serviço ontem de manhã em Itacaré e dirigiu-se ao Farol da Barra, armado pra fazer aquela situação, que nós nos envolvemos como ocorrência crítica, no veículo dele próprio”, lamentou.

Ação do BOPE e Tiros contra Wesley

“É previsto mundialmente, infelizmente tínhamos um provocador de evento crítico, transtornado mentalmente, utilizando arma de grande letalidade e que, em determinado momento, não obstante todos os recursos que nós utilizamos de isolamento e contenção, ele direcionou essa arma pra tropa e efetuou disparos que poderiam ter atingido mortalmente não só policiais militares, mas também a comunidade naquele local que reside”, pontuou o comandante-geral.

Coutinho esclareceu que os tiros foram nas pernas e braços.

Possibilidade de Greve na Bahia

“Eu entendo que isso é um segmento que não representa a instituição. A gente tem que ter bem claro que a instituição é muito maior do que tudo isso. Aqui nós estamos com o alto comando da corporação, com funcionamento claro de que estamos disponíveis pra servir e proteger e que manifestações de ordem política não cabem nesse momento, que é um momento de consternação de todos nós”, concluiu Paulo Coutinho, em coletiva realizada pela corporação no CAB.

INFORMA SERTÃO/ Clayton Luz
Imagens Bruno Luiz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *