A Barraca Dona Rosa ensinou a gente ficar em casa e fazer a feira

A Barraca Dona Rosa ensinou a gente ficar em casa e fazer a feira

Empreender é uma arte que transforma momentos de crise em criatividade, e a pandemia provocada pelo coronavírus impactou diretamente no comportamento e também nos hábitos da população. Já não é tão seguro o encontro entre amigos que gostavam de tomar o mingau ou munguzá, outros que se viam na hora do almoço nos restaurantes e botecos do famoso beco da morte já ficam ressabiados, evidente que muitos continuam nesta prática, mas é um risco devido a enorme aglomeração que é uma feira livre, e na contra mão deste frenesi está a necessidade de trabalhar e pagar contas.

Foi vendo as necessidades que surgiram, o temor de muitos que não vão ao centro de abastecimento, que Joabe Araújo transformou o comércio da sogra, não fiquem espantados, ela deve ser uma segunda mãe para ele. A Barraca Dona Rosa funciona no mesmo lugar há quase 30 anos, e tornou-se um empreendimento familiar, e a pandemia foi a oportunidade de transformação de um negócio simples em um case de sucesso nos últimos 12 meses.

Segundo Joabe a pandemia trouxe queda às vendas no comercio varejista de modo geral e não foi diferente com a frutas e verduras. “Diante do problema você tem duas opções, se render à dificuldade ou superar, nós decidimos inovar e vencer”.
A Barraca da Dona Rosa entrou de cabeça no segmento do e-commerce, investe em marketing digital e facilita a vida do cliente. Com mais de 5 mil seguidores no Instagram, o lugar vem se tornando um ponto turístico no mercado municipal, pois muitos querem conhecer a proprietária, que trata-se de uma mulher simples e trabalhadora.

“Eu não sabia e nem sei muito de internet, mas Joabe foi criativo, hoje a gente vende por telefone, whatsapp, instagram, são muitos pedidos graças a Deus” disse a famosa Dona Rosa.

Araújo vem de grandes empresas do ramo de varejo e construção civil, e foi aplicando conhecimento adquirido por onde passou que ele acreditou na inovação. “Por quê uma barraca da feira não pode fazer um vídeo bacana, um logotipo bonito, uma embalagem higienizada? Pode tudo, o nosso negócio é do tamanho da grandeza da nossa mente, então acreditamos, arriscamos e conquistamos. Não foi e não é fácil, continuamos nossas vendas convencionais, mas nossas vendas só aumentaram após a pandemia, pois criamos a alternativa de levar nossos produtos aos nossos antigos e novos clientes, e todos podem ter comodidade. Vamos continuar na feira, mas também estamos na palma da mão de cada jacobinense” finalizou Joabe

INFORMA SERTÃO/ Clayton Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *