Jacobina está fora das principais categorias em novo estudo da Rede Urbana da Bahia proposto pelo governo estadual

Jacobina está fora das principais categorias em novo estudo da Rede Urbana da Bahia proposto pelo governo estadual

Perdendo espaço em destaque nos diversos setores, Jacobina se vê mais uma vez com a necessidade de se reinventar, caso não queira perder a sua pompa, pois o novo estudo deixa o município do ouro excluído em sua hierarquia estratégica, enquanto vizinhos como Senhor do Bonfim e Irecê com população e arrecadação menores avançam como Pólos Surregionais, a terra payayá não figura estrategicamente nem como Centro Local perdendo espaço para municípios com estrutura administrativa de menor porte como é o caso de Ipirá e Conceição do Coité.

Jacobina que avançou em ensino superior com uma Faculdade de Medicina, não avançou significativamente em saúde nestes últimos 11 anos, já que o estudo tem por base o ano de 2010. Vale salientarmos a necessidade da construção de um novo PDDU e de melhoria na atração de investimentos, bem como pensar o município a médio e longo prazo, além evidentemente de ter representatividade política estadual.

Embora com apenas 05 meses de gestão, caberá ao Prefeito Tiago Dias e seus aliados políticos a nível de estado e Brasil, buscarem esta retomada pelo protagonismo com projetos e ações que impactem em avanços econômicos, melhoria na qualidade de vida do cidadão, geração de emprego e renda, investimentos em saúde pública, por meio de investimentos e recursos com parcerias profícuas. A palavra de ordem para que vislumbre-se um novo patamar em 2030/2031 deve ser um planejamento estratégico municipal, discutido entre poder público e sociedade civil, para que tal instrumento gestor seja uma via de regra para os anos futuros.

Com intuito de retomar a elaboração da Política de Desenvolvimento Urbano do Estado, o governo baiano iniciou o processo para revisar e atualizar o Estudo da Rede Urbana da Bahia, um dos principais pontos para continuar o projeto. A informação foi publicada na edição de 14 de maio do Diário Oficial do Estado (DOE).

Na portaria, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), responsável pelo plano, instituiu uma comissão responsável pela análise técnica das propostas a serem apresentadas pelas potenciais empresas interessadas em prestar consultoria para a reavaliação do estudo, realizado em 2010, pela própria pasta.

Segundo a Sedur, o objetivo geral do Estudo da Rede Urbana é “identificar e estabelecer a configuração da rede urbana e sua hierarquia funcional”. Neste ponto, o projeto analisa regiões metropolitanas, aglomerações urbanas, centros regionais e outras categorias de centros urbanos. Neste contexto, o intuito é “construir uma organização territorial policentrica mais equilibrada, em diferentes escalas, que considere as funções desempenhadas regionalmente no contexto do Estado e a integração a redes nacionais e internacionais de cidades.”


Vitória da Conquista tornou-se uma espécie de capital regional, dada a sua localização e distância da capital (Salvador)

PARCERIA
O governo do estado firmou cooperação com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), por meio do projeto de apoio à formulação e implementação do plano de desenvolvimento econômico da Bahia para um futuro sustentável e inclusivo.

“O conhecimento aprofundado e atualizado da rede urbana da Bahia constitui referência estratégica para a formulação da Política Urbana da Bahia. Por meio do estudo pretendemos identificar e caracterizar as cidades que exercem centralidade e as suas Regiões de Influência, identificar desequilíbrios e desigualdades intra e interegionais e visualizar potenciais regionais que possam ser alavancados”, destaca a gestão estadual. O prazo para conclusão do estudo e apresentação da política de desenvolvimento não foi detalhado.


Conceição do Coité é destaque na região sisaleira

Informações: Bahia Notícias
INFORMA SERTÃO/ Clayton Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *