Artigo: Feira de Adoção Animal em Jacobina traz pontos de reflexão e avanços

Artigo: Feira de Adoção Animal em Jacobina traz pontos de reflexão e avanços

No último sábado (12) a ONG Quatro Patas em parceria com a Prefeitura promoveu mais uma Feira de Adoção Animal, chamando a atenção da sociedade jacobinense de modo geral e de forma especial daqueles que se propuseram a adotar um bichinho, bem como de ativistas e protetores animais.

É salutar observarmos que anualmente cresce a procura e também o envolvimento do poder público e da sociedade civil, a partir do entendimento de uma causa que passa por saúde pública, meio ambiente, comportamento pessoal e comprometimento. O município de Jacobina tem dado um exemplo fenomenal para a Bahia tratando a questão da causa animal como política pública e programa de estado. Basta observar que os últimos 03 gestores contribuíram de forma efetiva para os avanços, de forma igual as legislaturas municipais também se desnudaram das indumentárias político-partidárias com a finalidade de um bem comum.

Nos idos de 2013 quando o então vereador Carlinhos da Caixa falou em chipagem de cães e gatos, chegou a ser motivo de chacota, quando na verdade ele estava à frente, vislumbrando o que hoje é necessário e mais, é algo já evidente em nossa terra.

Não importa se de forma até mesmo pejorativa chamam de SamuVet, importa que a ambulância para cuidados dos bichinhos tem funcionado, pois a finalidade está sendo alcançada de forma brilhante. É a salvação da lavoura? Quero dizer da bicharada? Não, mas o apoio de profissionais veterinários, iniciativa pública e privada, faz com que os avanços sejam constantes. Nessa história faz jus lembrarmos de nomes como Gislanny Lima, Cristielle Cordeiro, Léia Alves, Lucimário e Daniel Moura, quer sejam partícipes da Preefeitura ou da ONG Quatro Patas, são pessoas que se dispuseram a dar o melhor de si, abdicando de família, afazeres pessoais e lazer em prol desta causa. Não podemos esquecer dos inúmeros voluntários, pessoas que ficam no anonimato mas que contribuem de forma heróica, a exemplo do casal Elis e Sírio, e ao citarmos eles abraçamos a tantos outros a exemplo do jornalista Solon Cruz, Marivaldo da Manoel Novaes, que de forma carinhosa alimentam a diversos animais vadios em vários pontos da cidade.

A Feirinha só está no diminutivo no tratamento, pois na ação e no coração, foi gigante!

INFORMA SERTÃO/ Clayton Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *